Convêm explicar o porquê?

Caro João
Neste seu último post  afirma:
«A Direcção Regional de Energia do Centro foi transferida para Aveiro. Dizem que tem em vista o processo de regionalização. Fica a dúvida se nos acham tolos ou estúpidos. O presidente da Câmara diz que é uma decisão estúpida. Por uma vez, estou de acordo com ele».
Ora, eu fiquei aqui a cismar: é uma decisão “estúpida” porquê? Acho que teria sido interessante se tivesse partilhado connosco os argumentos que suportam esta conclusão. Se isto – este blogue – serve apenas para rasgar a camisa e clamar de peito aberto “Aqui d’El Rei que estão a roubar Coimbra”, mais vale organizar um grupo excursionista para uma tarde bem passada no Portugal dos Pequenitos a trincar tremoços. Vamos lá, explique por A+B porque razão Coimbra é preferível a Aveiro, caso contrário arrisca-se a falar em circuito-fechado. Acredito que isso seja uma evidência para os conimbricenses, mas já não o digo para os restantes portugueses.
Declaração de interesses: 1) Nasci em Aveiro; 2) Não tenho qualquer simpatia pelo actual presidente da autarquia de Coimbra (bem antes pelo contrário), mas espero que este blogue seja mais dos que um epifenómeno pré-eleitoral.


David Afonso
www.quintacidade.com

Anúncios

3 responses to “Convêm explicar o porquê?

  1. Falando no geral (transferência da Direcção Regional de Economia do Centro para Aveiro) existem motivos óbvios para se contestar tal mudança.. Passo a explicar, o Ministro da Economia Manuel Pinho considerou que tal organismo estatal deveria estar em Aveiro devido à “pujança industrial” que este distrito apresenta, isto, para mim não é argumento válido pois pujança industrial também apresenta o distrito de Leiria, que se vê com esta decisão, mais longe do poder local. Ou seja, para um empresário de Leiria, existe uma duplicação da quilometragem (têm de ir a Coimbra obterem o licenciamento ambiental e a Aveiro para o licenciamento industrial).. isto acrescido ao facto de Aveiro estar bastante próximo do Porto, onde existem serviços semelhantes, o que não acontece em Leiria. Logo aqui é uma decisão “estranha”.. (que mais “estranha” se torna quando se sabe que o ministro Manuel Pinho foi eleito pelo círculo de Aveiro.. mas isto sou eu a especular..)

    Segundo ponto de contestação: A Direcção Regional de Economia do Centro foi transferida de instalações próprias em Coimbra para instalações alugadas em Aveiro (o que acarreta despesa extra não só no aluguer como ainda acresce o custo de deslocação dos funcionários)

    Terceiro Ponto: Eu dei o exemplo de Leiria, mas não nos esqueçamos que a Direcção é Regional.. logo Aveiro significa maior distância para quem é, por exemplo, de Castelo Branco.. Coimbra tem uma posição estratégica em termos geográficos que a beneficia sendo este um ponto de grande vantagem na distribuição de equipamentos regionais.

    Tens razão quando afirmas que se deve demonstrar por A+B porque razão Coimbra é preferível a Aveiro.. mas é que esta contestação (e seus motivos) é tão conhecida em Coimbra que, suponho, nos esquecemos que na internet não estamos restritos aos leitores de Coimbra..

    Daniel Tiago

  2. Viva Daniel

    Assim já nos entendemos porque estamos a apresentar razões. Todavia, não me parecem totalmente válidas, isto é, não são “óbvios” os motivos de contestação. Vamos lá ver:
    1. O argumento da pujança industrial parece-me ser totalmente válido: de facto, os organismos estatais devem estar onde são precisos e Aveiro e (concedo) Leiria seria boas opções. Coimbra é que nem por isso, não é assim? Quer dizer, teria qualquer coisa de bizarro localizar este organismo onde ele é menos preciso.
    2. A proximidade ao Porto seria uma boa resposta, mas a burocracia tende a ser territorializada e duvido que os empresários de Aveiro usufruissem da vantagem da maior proximidade da cidade invicta. Devo ainda dizer que me espanta ver um coimbrão a estimular tão prontamente a deriva nortista dos aveirenses;
    3. Essa das distâncias também é gira. Seja lá for onde se plante a Direcção Regional há-de haver sempre quem fique a perder. Castelo Branco fica mais longe de Aveiro? Mas fica mais perto a Guarda! E não podemos ser radicais? Guarda ou Viseu não podem ser capitais?
    4. Um bom argumento é o de já existirem essas instalações em Coimbra. Aí de facto, parece-me um pouco extemporâneo. Afinal de contas deviamos estar a poupar e não a gastar. Dou a mão à palmatório, mas fico com a dúvida se não se poupará mais ao aproximar os serviços de quem realmente necessita deles. É fazer as contas.

    Uma última observação: não sinto – posso estar enganado – qualquer vontade da parte dos aveirenses em se tornarem a capital de seja lá o que for. Aveiro está demasiado ocupada a crescer e a produzir riqueza para se preocupar com essas coisas. Não somos bichos de papel selado.

  3. David, se bem reparaste eu tive o cuidado de especificar distrito de Aveiro e não concelho de Aveiro.. e aì, falando em distritos, tem toda a lógica o que eu digo, senão repara, não é uma questão de afastar Aveiro da Região Centro para o Porto, é uma questão de saber onde é que no distrito de Aveiro estão as empresas e a que região essas empresas vão pertencer.

    Estamos a falar de uma futura Região Centro que tem o seu extremo norte nos concelhos de Ovar, Estarreja, Albergaria e Sever.. Ora, a grande pujança industrial do distrito de Aveiro que o ministro que beneficiar ficará no futuro pertencente à Região Norte.. então afinal que preparativo à regionalização é que se está a fazer?

    Quanto ao colocar-se onde é menos preciso (Coimbra) é pura falácia.. a DR Economia não serve só as industrias.. e tanto quanto sei Coimbra (concelho) tem na realidade mais empresas que Aveiro (concelho).. logo esse é também um argumento que não “engulo”

    Quanto ao teu terceiro ponto, alguém sempre perde, claro.. mas estamos a mudar de uma situação em que “todos perdem por igual” para uma em que “alguns perdem a dobrar”..

    O que me revolta mais é o facto do despezismo financeiro.. caramba, com instalações em Coimbra vão gastar 15 mil euros por mês no aluguer de um edifício em Aveiro??.. estamos num país rico, afinal..

    Acredita que se esta situação em particular fosse ao contrário (de Aveiro para Coimbra e com a questão do aluguer) eu iria argumentar quase do mesmo modo.. há certos custos que não consigo entender.. a não ser que seja para “fazer o jeitinho”..

    Só para finalizar David, essa história dos aveirenses não quererem saber não é bem verdade.. basta dares uma olhada ao Diário de Aveiro, ainda deve estar online, e veres as reacções da autarquia aveirense congratulando-se quanto à mudança da DR Economia e a DR Turismo..

    Abraço

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s