Coimbra e o “excesso de espaços verdes”

A cidade de Coimbra felizmente tem muitos espaços verdes, para além dos espaços verdes construídos tem também uma vegetação que espreita por todo o lado. Esta vegetação deve-se ao declive que marca o terreno da nossa cidade.


A construção em declives apresenta implicações bastantes negativas ao nível dos riscos naturais, mas por outro lado evita uma densidade elevada.



Coimbra neste momento necessita de ganhar densidade na construção preenchendo alguns interstícios que tornam espaços no interior da cidade em áreas peri-urbanas. O aumento da densidade reforça a atracção da cidade sobre e a sua área de influência pelo surgimento de novos serviços prestados evitando o reforço da peri-urbanidade que mina a nossa organização territorial.Quando se autoriza a construção fora da cidade não se mexe só com a qualidade de vida ou falta dela de quem vai ocupar essa habitação.


Atingir 300.000 mil habitantes, consolidava Coimbra como uma cidade de média dimensão à escala europeia. A cidade deve consolidar-se em altura de forma a rentabilizar o terreno, deixando espaços livres para corredores verdes à imagem de parque linear no vale das flores.


Hugo Duarte

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s