Monthly Archives: Abril 2009

Desavenças na feira, alguém quer levar os tachos todos….

 

tachos

Assim não vale…

Anúncios

Debate sobre o enriquecimento ilicito.

Fiquei com a sensação que a verificação do enriquecimento ilícito deveria começar a ser aplicada precisamente em quem julga os outros…

Obrigado Rui Avelar pela organização de mais esta interessantíssima tertúlia.
enriquecimento-ilicito

Hugo Duarte

Eles comem tudo Eles comem tudo

 

b4

Vampiros

 

No céu cin zento Sob o astro mudo

Batendo as asas Pela noite ca lada

Vêm em bandos Com pés ve ludo

Chupar o sangue Fresco da ma nada

 

Se alguém se en gana Com seu ar sisudo

E lhes fran queia As portas à che gada

Eles comem tudo Eles comem tudo

Eles comem tudo E não deixam nada [Bis]

 A toda a parte Chegam os vampiros

Poisam nos prédios Poisam nas calçadas

Trazem no ventre Despojos antigos

Mas nada os prende Às vidas acabadas

São os mordomos Do universo todo

Senhores à força Mandadores sem lei

Enchem as tulhas Bebem vinho novo

Dançam a ronda No pinhal do rei

Eles comem tudo Eles comem tudo

Eles comem tudo E não deixam nada

No chão do medo Tombam os vencidos

Ouvem-se os gritos Na noite abafada

Jazem nos fossos Vítimas dum credo

E não se esgota O sangue da manada 

Se alguém se engana Com seu ar sisudo

E lhe franqueia As portas à chegada

Eles comem tudo Eles comem tudo

Eles comem tudo E não deixam nada

Eles comem tudo Eles comem tudo

Eles comem tudo E não deixam nada

Letra e Musica

José Afonso

 

Da Páscoa ficaram os padrinhos e os afilhados II

 A bíblia revela-nos os actos mais relevantes da vida de Jesus Cristo, embora com certeza tenha tido bastantes dilemas como qualquer ser humano, no sentido em que a procura da verdade é sempre algo de mais ou menos subjectivo. É aqui que entra a dimensão ética, esta dimensão que muitos lideres políticos esquecem nas suas práticas quotidianas e nas suas propaladas dimensões humanistas, apenas parecem chegar ás dimensões objectivas da prova criminal.

A ambição ética foi aquilo que por exemplo Carlos Encarnação não teve quando autorizou o arrendamento do antigo edifício dos CTT para instalação da A.I.R.C.. Esta falta no mínimo de ética tem duas dimensões:

Os recursos do Estado que são de todos nós, como tal devem ser geridos de forma parcimoniosa, para que isto aconteca é importante saber quanto valem as coisas, neste caso um imóvel com uma determinada dimensão, numa determinada área como seja o das freguesias urbanas de Santa cruz ou São Bartolomeu.

Por outro lado é indispensável a um Estado de bem que todo o cidadão ou pessoa colectiva possa ter acesso aos negócios estatais em pé de igualdade desde que tenha as suas contas com o estado regularizadas.

Para que estas duas condições se tivessem verificado no negócio do arrendamento do Edifico dos CTT era necessário que tivesse ocorrido um concurso publico, isto para que a busca da verdade pelo menos tivesse ocorrido.

O Presidente do município pode dizer que não houve enriquecimento ilícito da sua parte, neste momento também nada me leva a afirmar que houve, mas uma certeza eu tenho, não foram levados a cabo todos os procedimentos juridico-administrativos para que o contribuinte através do orçamento municipal pagasse o mínimo por um serviço. Pronto mas isto é tudo mais ou menos honesto.

Desonesto, desonesto são os senhores da policia judiciária, um dia receberem uma carta anónima com um conjunto de coincidências estranhas sobre a venda e arrendamento de um edifício publico, sobre as quais encontram provas de um crime que os obrigam a constituir arguidos, entre os quais o senhor presidente responsável máximo pelo negócio.

Os jornalistas outros desonestos, contam ao povo estes reles procedimentos e esta falta de ética e ainda são colocados na cruz.

O abuso do poder foi desde sempre um problema, já em Roma o mesmo se passava, aos não-romanos do império apenas lhe restava trabalhar e converter-se ao estoicismo na busca da felicidade, uma vez que a riqueza estava reservada apenas aos cidadãos romanos.

Se não fossem os tais desonestos inspectores e jornalistas, à larguíssima maioria dos conimbricenses da Praça 8 de Maio apenas lhe restava pagar a contribuição autárquica a água, taxa de resíduos sólidos e as contribuições do orçamento de estado para o orçamento municipal. Os usufrutos restringiam-se à recolha do lixo, com muito poucos ecopontos, estrada esburacadas agora tapados á pressa por causa das eleições, Jardins abandonados como é o caso do Jardim da Sereia e da casa de Chá, prometida há quase 8 anos, entre muitas outras promessas vãs.

A grande maioria dos conimbricenses são católicos e portugueses, mas Doutor Carlos Encarnação não nos condene ao estoicismo! Deixe que o desejo ocorra de forma voluntária, pois realmente há dinheiro que cheira muito mal!

Onde pára a polícia?

claque21

Imagem retirada de paramimtantofaz.blogspot.com

Uma vez foram mandados parar na estação de serviço de Aveiras autocarros de sindicalistas por levarem lotação a mais! Ontem em Coimbra viram-se cenas idênticas à que a imagem descreve protagonizadas pelas claques do Futebol Clube do Porto será que lhes aconteceu alguma coisa?

Hugo Duarte

Podem levar tudo daqui, mas há coisas…

convento1

Ontem á tarde centenas de pessoas aguardavam a sua vez para entrar no Museu.

Parabéns Coimbra pela tua beleza sem fim. 

Hugo Duarte

DECLARAÇÃO DE UM SOCIALISTA DE COIMBRA OFENDIDO E HUMILHADO.

 Ontem o Deputado e Presidente da Federação de Coimbra do PS Victor Baptista votou contra o diploma que prevê o fim do sigilo bancário. Foi o único Deputado do PS que votou contra.

 

Momentos depois da votação apareceu perante a comunicação social, com ar perturbado, a acusar o partido de oportunismo político dizendo que o voto favorável dos Deputados do PS tinha exclusivas motivações eleitoralistas.

 

Em Novembro de 2008 o Deputado e Presidente da Federação de Coimbra do PS Victor Baptista defendeu na Assembleia da República o chumbo do inquérito parlamentar ao BPN.

 

Com estas posições políticas Victor Baptista tornou-se um rosto de oposição a políticas de transparência e de combate à corrupção, o que não se coaduna com os valores e os princípios do PS e com a tradição do PS Coimbra.

 

Como militante do PS Coimbra sinto-me ofendido e humilhado com estas posições políticas, que repudio, do principal responsável do PS a nível distrital.

 

O Deputado e presidente da Federação de Coimbra Victor Baptista deverá ser responsabilizado pelos estragos, mais do que muitos, que vem provocando ao PS em geral e ao PS Coimbra em particular.

 

Coimbra, 17 de Abril de 2009

 

João Silva