Não é carne nem peixe

Coimbra não é litoral nem interior, não é Norte nem Sul, nem sequer está verdadeiramente no centro.. é uma cidade que apesar de acidentada não é montanhosa, e ao mesmo tempo é também uma cidade sobranceira aos extensos campos do Mondego, onde por vezes o olhar se estende até ao horizonte. Mas afinal, no mapa de Portugal continental, qual é o espaço de Coimbra?

Olhando para Aveiro começam-se a ver traços do “Grande Porto”, olhando para Leiria já há ali qualquer coisa da “Grande Lisboa” e no espaço de ruptura entre estas metrópoles lá estamos nós. Não se pode dizer que Coimbra esteja mal geograficamente, aliás a sua posição já lhe valeu ganhos no passado, tanto de relevo nacional como regional.

Mas se esta cidade está assim tão bem colocada então porque é que dou comigo a pensar que algo de errado se passa no plano rodoviário proposto para a região de Coimbra e para a Região Centro em geral? É que, não obstante o atraso que esta região sofre em relação a quase todas as outras, ainda se está a transformar num local de passagem e não num local de confluência.

Senão reparemos, existem no distrito de Coimbra apenas duas auto-estradas, a A1 (que “apenas” cá passa) e a A14 (três se contarem com a A31, que liga Taveiro a Coimbra-Norte, nunca percebi bem o interesse desta designação). Para além do escasso número gostaria de deixar a questão: Quantos de nós utilizamos a A14 para ir à Figueira? Porque é que (não) a utilizamos? Pelo preço? Ou pelo trajecto, a meu ver, completamente inadequado? Dá a sensação que a A14 é uma tentativa frustada de um “shampoo 2 em 1”, ou seja, queriam ligar Coimbra-Cantanhede-Figueira mas resultou uma AE que não serve eficazmente qualquer uma das cidades mencionadas.

Para Viseu temos o famoso IP3 (famoso pelas piores razões) que vai finalmente ser substituído por uma auto-estrada que vai ligar Viseu à… Anadia..

Vai também ser feita a ligação da A17 em Mira, passando por Cantanhede e viria até Coimbra, mas vai ter à… Mealhada…

Já nem vou falar das ligações ao interior da Região, em que é mais fácil um residente em Castelo Branco ir a Lisboa que vir a Coimbra…pois não existe uma ligação rodoviária decente e nem sequer ferroviária.

Só se aproveita mesmo o futuro IC3 que vai ligar Coimbra (Coimbra mesmo, aleluia!) a Tomar.

E ainda havia (há) um grupo que defende a mudança da EN1/IC2 para fora da cidade, passando a Este desta, lá para trás de Vale de Canas..

Se isso se concretizar e olhando para o que já foi dito então Coimbra irá passar a ser um buraco negro nas ligações rodoviárias portuguesas, é que não passa cá nada nem nada cá vem ter..

E vá lá que estamos entre Lisboa e Porto, senão nem a A1 cá passava..

Daniel Tiago

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s